10 de agosto de 2011

Mãe do coração

Ainda esta semana, num lanchinho muito agradável com as amigas de sempre, falou-se de um assunto que começa a fazer parte dos temas de conversa: filhos. Ter ou não ter, eis a questão. Pois bem, é um facto que o Homem foi feito para procriar, mas também é um facto que não temos de querer todos as mesmas coisas, nem fazer todos as coisas da mesma forma. Há várias opções de ser e estar na vida e, ter filhos, pode, pura e simplesmente, não fazer parte dos planos de uma pessoa/casal. E não, quem não quer ter filhos não tem de ser visto de lado, ser alvo de comentários do género: "Ai coitados, não devem poder ter filhos...de quem será o problema?" ou ser visto como egoísta e um pobre coitado que mais tarde se vai arrepender (a este propósito, já ouvi muito pai e muita mãe a lamentar-se por ter filhos, o que nem sempre é agradável de se ouvir e, acredito, de sentir...). Sim, minhas queridas, há pessoas que não querem ter filhos, assim como há pessoas que não fazem questão de ter filhos biológicos. Nem sempre a realização plena passa pela maternidade típica. Nem sempre a felicidade pura implica ser mãe. Nem sempre a mesma opinião dura uma vida inteira. Mas agora, neste momento, ser mãe do coração faz o meu transbordar de alegria e orgulho: para ti M., o meu pequeno grande amor.

Sem comentários:

Publicar um comentário