24 de março de 2014

Casas com alma

A minha paixão por imóveis não é de hoje. Por decoração e sentido estético, também não. Não me apaixono por qualquer imóvel, nem gosto de qualquer tipo de decoração, é certo, mas há casinhas que conquistam o meu coração. Fico a babar por pavimentos de tábua corrida, portas e carpintaria lacada a branco (vai ser o meu maior "drama" na hora de alugar uma casa aqui no Porto, porque por estas bandas, ao contrário de Lisboa, são raras as casas que têm esta particularidade), varandas com floreiras, raios de sol a entrar nos quartos de manhã e na sala/cozinha à tarde, vistas de cortar a respiração, aquecimento central e lareiras (já comentei por aqui que sonho com o dia em que a minha casa estiver quentinha até na casa-de-banho!!), cozinhas e casas-de-banho, minimamente, modernas (f-u-n-d-a-m-e-n-t-a-l!) pormenores que as tornem únicas e nos façam "apaixonar à primeira visita" (direitos de autor do APCP). E, pegando nesta "mítica" frase, é fácil perceber porque estou, completamente, in love com o Arrendar Porto com Paixão (APCP), a primeira e única Lovemark do sector em Portugal. Um projecto com imenso potencial (na nossa bela cidade, já de si com um potencial crescente, desde Outubro de 2013)... e do qual faço, recentemente, parte! É tão, mas tão a minha cara! A receita é "simples": casas giras giras, declarações de amor e músicas apaixonantes, às quais se adiciona uma postura descontraída, mas sem deixar de ser profissional, um atendimento personalizado e, acima de tudo, muita paixão: pelas casas, pelas pessoas e pelas relações duradouras que se criam. Porque se vou viver para uma casa nova, é para me sentir bem nela, o meu porto seguro; é para querer voltar para os seus braços ao final de um dia de trabalho ou ficar a preguiçar até mais tarde num domingo soalheiro; é para querer partilhá-la com os meus amigos e familiares; é para querer pô-la ainda mais bonita com uma decoração que seja o reflexo da minha personalidade; é para estar apaixonada e enamorada pela energia positiva que ela emana e pelo bem que me faz. Porque há coisas que não se explicam, sentem-se. E se se sente tudo isto pela cara metade, porque não sentir pela "casa metade"? Se também estiverem tão apaixonados como eu por este projecto (ou se, simplesmente, ainda não o conhecerem e quiserem cair de amores. Aviso: Vão por mim, que é impossível resistir!), façam um mega "gosto" aqui e divulguem-no, para que mais pessoas possam ser simplesmente felizes. No final, "home is where your heart is"...

Sem comentários:

Publicar um comentário